GERENCIAMENTO DE RISCO DE CRÉDITO

O principal objetivo da gestão de risco de crédito é contribuir para as atividades das áreas de negócio otimizando a rentabilidade global, ajustado ao risco, e assegurando a sustentabilidade do Grupo, definindo o estabelecimento de um sistema adequado para controle de riscos.
O grupo só assume riscos de crédito que sejam efetivamente gerenciáveis do ponto de vista operacional e financeiro em todas as etapas do ciclo de vida da exposição – desde a originação, cobrança até a atenuação de perdas. A aprovação de qualquer aceitação de Risco de Crédito deve basear-se em sólido conhecido do cliente e do seu negócio, na compreensão da finalidade e da estrutura da transação, assim como das fontes da amortização da dívida. As quatro linhas de negócios que estendem crédito aos clientes do banco são CORI, GLFI, MARK e SGEF.

Ainda que as condições de crédito em mercados atendidos pelo SG possam variar conforme os ciclos de negócios, certos princípios da política de risco de crédito se aplicam em todas as circunstâncias de forma ininterrupta:
– Contínua busca por manter nossa tradição de excelência e integridade em todas as nossas negociações. Nossa reputação é nosso patrimônio mais importante, o qual deve ser preservado.
– Esperamos que nossos clientes demonstrem qualidade semelhante de integridade e responsabilidade.
– Faremos negócios apenas com as contrapartes cujos objetivos e condutas sejam legítimas e éticas.
– Não ampliaremos o crédito com condições preferenciais a nenhum indivíduo e nenhuma entidade detentora de uma parcela significativa de capital ou que exerça um controle significativo sobre o Grupo SG.
– Manteremos uma Política de Risco de Crédito que se destine a respaldar os objetivos comerciais do SGB, ao mesmo tempo preservando a integridade fundamental do risco de crédito dos negócios com os quais nos envolvemos.
Em linha com as melhores práticas, o gerenciamento de Risco de Crédito do conglomerado é um processo contínuo e evolutivo do mapeamento, da aferição e do diagnóstico dos modelos, dos instrumentos, das políticas e dos procedimentos vigentes, exigindo alto grau de disciplina e controle nas análises das operações efetuadas, preservando a integridade e a independência dos processos. O objetivo é a maximização do retorno face ao risco oferecido, desde que cumprida a estratégia definida pela matriz do Grupo em Paris e descrita em nossa política.
As políticas observam cuidados relacionados à análise da capacidade de pagamento do tomador, além de levar em conta parâmetros de concentração, concessão, exigência de garantias e prazos que não comprometam a qualidade esperada da carteira.
A exposição ao risco de crédito e o processo decisório são controlados e avaliados para todos e quaisquer tipos de clientes. Além disso, o CSGB tem muito pouco ou nenhum apetite para os seguintes setores: imprensa, partidos políticos, clubes esportivos, incorporadores imobiliários e contrapartes que não atendam aos critérios de responsabilidade ambiental e social e / ou com PEP em investigações e / ou com problemas na sua imagem e reputação.

Por outro lado, o CSGB visa financiar e apoiar (i) subsidiárias locais de Grupos Multinacionais; (ii) empresas brasileiras para reforçar sua presença nos mercados internacionais; (iii) grandes instituições financeiras brasileiras e subsidiárias locais dessas instituições Multinacionais; administradores de fundos e fundos ligados; e (iv) clientes parceiros da Global Vendors.
A metodologia aplicada à carteira de arrendamento mercantil leva em conta as características particulares deste segmento.

O processo de aprovação de um limite de crédito é orientado por políticas, procedimentos e normas relacionados ao crédito e pela experiência e julgamento dos profissionais das Linhas de Negócios, análise de crédito e Risco de Crédito. O processo de aprovação de crédito normalmente envolve diversas áreas dentro do Grupo SG. Cada divisão possui responsabilidades claras quanto a sua responsabilidade e alçada.
Há a preocupação em evitar a concentração excessiva de riscos de crédito e promover uma diversificação da carteira de crédito do CSGB e a exposição com cada Grupo Econômico segue as diretrizes da Res. 4677/18 do Banco Central do Brasil.
A qualidade de crédito do portfólio é acompanhada mensalmente e tem a finalidade de fornecer informações sobre a deterioração da qualidade creditícia da carteira dos clientes, a probabilidade de inadimplência, a perda prevista, o número de inadimplências fazendo com que a alta gerência possa identificar, analisar, mensurar e monitorar o risco de crédito sobre as atividades realizadas pelo CSGB.

GOVERNANÇA

A gestão do risco de crédito está sujeita ao Comitê de Gestão de Risco de Crédito, subordinado ao diretor de Risco -CRO/COO do CSGB. O modelo global do banco é monitorado pelo Regulador francês, estando em conformidade com os requisitos do Acordo de Basiléia II.
As instituições atendem as regulamentações locais e dispõem de equipes altamente capacitadas para gerenciamento do risco de crédito.
O Diretor de Riscos e a Diretoria Executiva se responsabilizam pelas informações a respeito da estrutura de gerenciamento de risco de crédito aqui apresentadas.